A escolha das madrinhas

Eu achei muito difícil essa parte do casamento, confesso.

Tanto meu noivo quanto eu temos muitos amigos queridos, gente que esteve presente em momentos bons e ruins, amigos novos e de infância, e fica complicado fazer a escolha.

Tínhamos espaço, o que é sempre um limitador da quantidade de casais. Por casar ao ar livre, pudemos escolher 6 casais de cada lado (sim, muitos!! Rs!), mas acreditem que ainda ficou gente de fora…

O que eu posso dizer a quem está fazendo essa escolha agora: decida por aqueles que fazem parte da sua vida, de verdade. Aqueles que te ligam para saber como você está, aqueles que se fazem presentes, que querem te encontrar, que vão estar realmente ao seu lado se algo ruim acontecer.

Os padrinhos são aquelas pessoas que devem amar o casal, não um deles só. Devem zelar pela união do casal. Em uma crise, devem querer juntar os dois novamente, e não cutucar a separação. Nossa escolha foi baseada em pessoas que gostam dos dois, não importando o lado que elas estavam.

Outra coisa: no período de stress pré-casamento, madrinhas presentes fazem toda a diferença. Algumas delas (especialmente minha irmã) praticamente resolveram minha vida quando eu não podia ou estava sem tempo. Vão a lugares com ou sem você, ajudam em coisas manuais, fazem companhia e dão opinião. Isso é muito importante!

Ouço muita gente se arrependendo de alguns padrinhos que escolheu. Acontece, mesmo. A gente escolhe pessoas que pra gente são especiais, mas vai ver lá na frente que essas pessoas nem te acham tão especial assim, nem fazem questão de estar junto. Paciência, a vida é assim. Eu, como pisciana que sou, e adoradora dos meus amigos, sinto por isso. Mas a gente não tem como se fazer especial pro outro, né? Ou ele acha, ou não. Ou quer estar junto e te ver, ou não. É deixar pra lá e seguir em frente.

O importante é ter a certeza de que para o seu coração, naquele dia, aquelas pessoas eram as melhores do mundo, as que você queria que representassem todas as outras que colocou na primeira fila da cerimônia, só por não caberem no altar.

Abaixo, eu, minha mãe e minhas 12 madrinhas, além das duas “daminhas”.

Posts anteriores