11abr2017

Quebrando o tabu | Violência contra a mulher: psicológica e física

Eu estou embasbacada sobre a agressão e violência contra a mulher que aconteceu no BBB no final de semana. Fiquei sabendo do ocorrido ao abrir meu Twitter ontem de manhã e me deparar com uma enxurrada de comentários sobre o assunto. E o mais engraçado, é que eu estava há tempos querendo escrever um texto sobre violência contra a mulher, mas sempre postergava. Mas com o que aconteceu, não me permito deixar para depois.

violência contra mulher

Imagem via Rondoniaovivo

Eu não assisto o programa, por isso, quando li os comentários fui atrás de informações para saber se aquilo era realmente verdade, se não estavam exagerando. Vocês sabem como é a internet, está cheia de comentários e notícias tendenciosas. Mas ao pesquisar, me dei conta que aquilo tudo era verdade. E achei um absurdo, tanto o que aconteceu quanto a réplica da Globo. Eles se dizem tão preocupados quanto os espectadores.

Oi?! Preocupados?! Se realmente  estivessem, teriam tomado alguma providência e não apenas alertado o participante sobre sua conduta. A gente alerta criança que não sabe o que é certo ou errado e não adultos que tem plena consciência do que fazem.

Violência e assédio contra a mulher é crime e deve ser denunciado!!!!

Sei que aqui é um blog de casamento, mas nem eu quanto a equipe conseguimos ver esse tipo de coisa e ficarmos quietas.

Uma a cada 3 mulheres são violentadas no mundo. Há cada 11 minutos, no Brasil, uma mulher sobre com agressão! Isso NÃO PODE MAIS ACONTECER.

Muitas mulheres passam por isso durante suas vidas e morrem de medo de denunciar o marido ou namorado e não sabem o que fazer em tal situação.

O pior é que em meio a tanta agressão, violência e manipulação, essas mulheres com a estima lá embaixo, acabam se achando culpadas pelo acontecido, acham que estão sempre erradas e que mereceram o que aconteceu. Mas ninguém merece ser violentada seja física, psicológica, íntima ou moralmente!

violência contra mulher

E não, isso não é feminismo nem mimimi. Devemos falar sobre esse assunto para conscientizar as pessoas que mulher não é saco de pancada, mulher não é um objeto que o homem pode fazer o que bem entender!

Devemos dar um basta nisso!

Até quando andaremos nas ruas com medo do homem que está caminhando atrás da gente? Até quando sentaremos ao lado de outra mulher no ônibus, no metrô para nos sentirmos mais seguras? Até quando nossos corpos serão objetificados? Até quando nossas vidas pertencerão a eles, homens?

 

Como identificar a agressão ou a violência psicológica?

 

A agressão psicológica é subjetiva, por isso, difícil de ser identificada. Ela não deixa marcas físicas. Como definir se é violência psicológica?

#1 – Quando o parceiro quer determinar o jeito como a companheira se veste, pensa, come ou se expressa;

#2 – Quando ele critica qualquer coisa que ela faça; tudo passa a ser ruim ou errado;

#3 – Quando o companheiro desqualifica as relações afetivas dela: ou seja, amigos ou família “não prestam”;

#4 – Quando a xinga de ”nomes baixos”, “imprestável”, “retardada”, etc…;

#5 – Quando a expõe a situações humilhantes em público;

#6 – Quando critica o corpo dela de forma ofensiva, e considera como uma “brincadeira”.

violência contra mulher

Imagem via Revista Fórum

E qualquer outra conduta que:

– cause dano emocional e diminuição da autoestima;

– prejudique e perturbe o pleno desenvolvimento;

– vise degradar ou controlar suas ações, comportamentos, crenças e decisões, mediante ameaça, constrangimento, humilhação, manipulação, isolamento, vigilância constante, perseguição contumaz, insulto, chantagem, ridicularização, exploração e limitação do direito de ir e vir;

– cause prejuízo à saúde psicológica e à autodeterminação.

Se vocês conhecem alguém que passa por essas situações, ajudem-na. Deem força e apoio para que ela procure ajuda!

 

UPDATE: finalmente tomaram uma decisão na noite de ontem (10) Marcos foi expulso do BBB. Mas será que só ser expulso do programa basta para ele não agir nunca mais assim contra uma mulher?

Comentar

* Campo requerido