Life

06Jul2015

Da série: dicas e desabafos sobre relacionamento

Essa semana que passou a bruxa estava a solta. Nunca vi uma semaninha mais triste. Vários noivos brigando, incluindo eu e o meu respectivo rsrsrs, por coisas que realmente não valiam a pena. Então resolvi criar essa série: dicas e desabafos sobre a relação, para poder abordar o assunto de uma maneira mais leve. As dicas que postarei são todas aquelas que funcionam comigo, logo, elas devem funcionar com alguns outros casais também rsrs.

Sempre soube que antes de casar eu queria fazer um test drive para ver como seria quando eu e meu noivo nos casássemos. Até porque naquela época eu não tinha o desejo de casar mesmo. Minha vontade era apenas juntar os panos e vivermos uma vida nossa, sem a interferência da família.

Lembro que os primeiros meses eram como se estivéssemos em lua de mel, tudo era lindo!!!!Até mesmo a bagunça dele era rsrsrs. Vocês devem imaginar o que não passei depois para mostrar para ele que deveria ajudar mais em casa, né?! rsrsrs. Mas os meses se passam, a rotina toma conta e alguns aspectos e atitudes começam a incomodar. As brigas ganham cada vez mais espaço e se não damos um basta, a relação fica um inferno. E é por isso que acontecem as separações.

Eu sempre aprendi que devemos conversar e resolver todas as diferenças no ato e não ficar postergando uma coisa que pode ser resolvida na hora. Já ele pensava completamente diferente. E na nossa casa de 35m, simmmmm esse era o tamanho da nossa primeira casinha, nós tínhamos apenas um cômodo que tinha uma porta, o banheiro. Então, para não sair e me deixar mais brava ainda (pois naquela época não compreendia que a pessoa precisava de um espaço para ela respirar e processar tudo o que aconteceu) , ele se trancava lá para esfriar a cabeça. Quando ele fazia isso eu sabia que a coisa estava feia e que deveria esperar um pouco mais para colocar tudo em pratos limpos. Foi uma época engraçada rsrsrs.

Estou relatando isso porque cada um aprendeu a resolver seus problemas de uma maneira e por mais que não seja a mais adequada ao olhar do seu companheiro, leva algum tempo para que o comportamento mude. Isso, lógico, se for muito bem conversado e se a pessoa ver que realmente a maneira que ela conhece não é a melhor.

Eu contei essa história para chegar em apenas um único ponto, ou melhor, dois pontos que valem como um:

- paciência e uma boa conversa são tudo em um relacionamento.

Aprendi ao longo do tempo que devo dizer tudo o que me incomoda, mas não acusar ou ser agressiva. Mas simplesmente chegar para a pessoa e falar o que não está me fazendo bem e me deixando infeliz na situação. E é exatamente isso que eu acho que cada casal deveria fazer. Ter uma boa conversa sobre tudo, sem perder a paciência. Se a pessoa não está entendendo, significa que você deve mudar a maneira como está explicando para ajudá-la a entender melhor.

Tudo, repito TUDO pode ser resolvido com uma boa conversa. Não desista porque está de cabeça quente ou por achar que não está mais dando certo quando tudo parece desabar. Espere um pouco, esfrie a cabeça, respire fundo se preferir vá dar uma volta para esfriar a cabeça e aí sim, volte para ter aquela boa conversa (aquela que estou falando o texto inteiro rsrs) e colocar todos os pontos nos i’s. Se, ao chegar nessa parte, o casal vê que não dá mais, que eles já fizeram de tudo, mas que não adianta mais mesmo, não tem o porque continuar. A decisão está tomada. E os dois poderão sair de consciência limpa e sem mágoas do relacionamento para poder seguir a vida. Pois a decisão foi tomada por ambas as partes e de cabeça fria.

Essa é a minha visão sobre as brigas e para o meu relacionamento está dando muito bem. Como costumam resolver os desentendimentos do casal? Talvez tenha mais coisas que eu (aliás todas nós) possa aprender com cada uma de vocês.

Imagem by Ana Murgas

03Jul2015

Wedding Day Sweet Hair Moema

O Casarei teve o prazer em conferir de perto o Wedding Day que aconteceu nessa quarta-feira (01) no Sweet Hair Moema. O evento, além de apresentar o lugar que diga-se de passagem, é lindo também nos forneceu uma visão diferente quando o assunto é relacionamento com a cliente. Ao entrar no salão você se sente em casa. E não só pelo fato da equipe ser maravilhosa e mimar cada cliente, mas também pelo design que mescla o moderno com o vintage.

No Wedding Day tivemos a oportunidade de conhecer o salão e todos os serviços prestados para as noivas, os vestidos da Bela Noiva e os serviços de limousine da Paris Vegas. O bom do espaço fornecido pela Sweet Hair Moema é que eles fizeram um cantinho especial para as crianças, assim as mães podem relaxar e fazer os tratamentos escolhidos sem se preocupar com seus pequenos.

Nós gostamos tanto do salão que não vemos a hora de voltar!!!!!

03Jul2015

Da série: quem casa quer casa & Cozinha vintage

Oi gente, olha eu aqui de novo para falar sobre os estilos de cozinha. Depois de mostrar diversas inspirações para cozinhas modernas aqui e rústicas aqui, chegou a vez de trazer referências vintage. Esse é um dos estilos mais amados aqui do blog e não é para menos. Ele nos remete a aconchego, a uma época em que tudo parecia estar sempre bem, uma época que os problemas não existiam. Tudo isso mesclado com o que vivemos atualmente. Isso na minha humilde opinião, claro.

Diversos pontos e elementos ditam o estilo vintage, alguns deles são:

- a mistura do antigo com o moderno;

- cores vivas contrastando com cores mais pálidas;

- letreiros escritos à mão;

- e um ar de romantismo.

Quando combinamos esses elementos/pontos e objetos mais antigos, os ambientes se transformam. E quando digo ambientes, falo de todos os ambientes que compõem um espaço: seja casa, sala comercial, espaço para eventos e etc.

E como estamos falando em cozinha, afinal quem casa quer casa. Fiz uma seleção de imagens de tirar o fôlego para ajudá-las a criar a cozinha no melhor do estilo vintage. Muitas são referências internacionais e que podem SIM serem adaptadas aqui no Brasil.

Imagem via Home Design Lover e Home and Garden

23Jun2015

A soma de todos os afetos & Uma verdade

Ontem eu estava vendo meu feed de notícia e me deparei com o texto abaixo. Achei ele de uma intensidade única e de uma verdade que eu precisava postar para vocês. Precisamos começar a pensar em como estamos vivendo e como gostaríamos de viver. E analisar: o que está faltando para chegar na maneira em que eu gostaria de viver?

A negatividade vai minando nossa vida aos poucos que percebemos somente quando ela já está instalada e jã se tornou um cilo vicioso. E para sair desse ciclo não é fácil, vão por mim. Quantas vezes já não vivi isso??!!! Não deem espaço para o negativo. Pensem e ajam positivamente!!!!

Cora Coralina nos dá uma amostra de como fazer isso no texto que vocês estão prestes a ler!

Imagem via Google

Um repórter perguntou à poeta Cora Coralina o que é viver bem. Ela lhe disse:
“Eu não tenho medo dos anos e não penso em velhice.
E digo pra você, não pense.
Nunca diga estou envelhecendo, estou ficando velha. Eu não digo.
Eu não digo que estou velha, e não digo que estou ouvindo pouco.
É claro que quando preciso de ajuda, eu digo que preciso.
Procuro sempre ler e estar atualizada com os fatos e isso me ajuda a vencer as dificuldades da vida. O melhor roteiro é ler e praticar o que lê. 
O bom é produzir sempre e não dormir de dia.
Também não diga pra você que está ficando esquecida, porque assim você fica mais.
Nunca digo que estou doente, digo sempre: estou ótima.
Eu não digo nunca que estou cansada.Nada de palavra negativa. 
Quanto mais você diz estar ficando cansada e esquecida, mais esquecida fica.
Você vai se convencendo daquilo e convence os outros. Então silêncio!
Sei que tenho muitos anos. Sei que venho do século passado, e que trago comigo todas as idades, mas não sei se sou velha, não. Você acha que eu sou?
Posso dizer que eu sou a terra e nada mais quero ser. 
Filha dessa abençoada terra de Goiás.
Convoco os velhos como eu, ou mais velhos que eu, para exercerem seus direitos. 
Sei que alguém vai ter que me enterrar, mas eu não vou fazer isso comigo.
Tenho consciência de ser autêntica e procuro superar todos os dias minha própria personalidade, despedaçando dentro de mim tudo que é velho e morto, pois lutar é a palavra vibrante que levanta os fracos e determina os fortes.
O importante é semear, produzir milhões de sorrisos de solidariedade e amizade.
Procuro semear otimismo e plantar sementes de paz e justiça. 
Digo o que penso, com esperança.
Penso no que faço, com fé. Faço o que devo fazer, com amor. 
Eu me esforço para ser cada dia melhor, pois bondade também se aprende.
Mesmo quando tudo parece desabar, cabe a mim decidir entre rir ou chorar, ir ou ficar, desistir ou lutar; porque descobri, no caminho incerto da vida, que o mais importante é o decidir.”

xo

Nati