Life | Não case se seu parceiro faz uma dessas coisas

Se relacionar é uma arte! Isso é um fato. Por isso, não case se seu parceiro faz uma dessas coisas que estão listadas abaixo.

Ah, mas como pode um blog de casamento falar isso?

Pelo simples fato de que quero que você tenha um casamento feliz!

O Huffington Post fez uma matéria sensacional sobre o assunto. Lá, eles citam 9 atitudes que os parceiros podem ter e que se eles tiverem é melhor não se casar. Eu compilei as que eu acho piores. Para ler a matéria na íntegra, clique aqui.

 

Não se case se seu parceiro faz uma dessas coisas

 

Cada ser humano tem suas manias. Porém, quando estamos num relacionamento tentamos amenizá-las e também compreender as manias do outro. Todo relacionamento tem seus prós e contras, certo? E as manias entram ali.

Mas não é nada fácil se sentir bem, feliz e amada quando o parceiro:

#1 – Coloca sempre os outros à frente:

Não tem nada pior do que um parceiro que sempre cancela os planos com você para sair com seus amigos ou quando ele/a atende o telefone, porque é do trabalho em meio a celebração de aniversário de namoro/casamento.

Acho que não tem nada pior do que não se sentir priorizada. Isso é algo que mina a auto estima e quando percebemos…

Não case se seu parceiro faz uma dessas coisas

#2 – Ele tem vícios:

Lidar com alguém que tenha algum tipo de vício como drogas, álcool e etc não é nada fácil. Muitas vezes, acabamos nos tornando co-dependentes disso também. Claro que, se ele estiver comprometido com sua recuperação a conversa é outra.

Quando o parceiro ainda não aceita que tem um vício, a recuperação não chegará e não importa o que você faça, ela não vai acontecer, infelizmente! Por isso, é melhor se afastar do que tentar mudar algo em alguém que ainda não está pronto para isso.

#3 – Saúde mental abalada:

Quando o parceiro se encontra em uma situação em que sua saúde mental está abalada, a organização de um casamento pode ser demais para ele. Ou seja, é melhor cancelar o casamento e esperar até que ele esteja estável e confiante.

Isso para que tanto você quanto ele consigam aproveitar bem todos os processos de um casamento – da organização a núpcias.

#4 – No sex:

Sim, um relacionamento tem suas fases e o apetite sexual flutua e muito. Mas a partir do momento em que não há sexo e nem dá para se ter uma conversa saudável sobre o assunto algo está errado! Ainda mais se ele não levar em consideração o que você gosta e não gosta na cama.

Não case se seu parceiro faz uma dessas coisas

Imagem: Reprodução

 

Falta de comunicação | Desabafos & Dicas sobre relacionamento

Paciência | Da série: Relacionamento

Casamento Saudável | 9 hábitos para ter um ótimo relacionamento

 

9 top coisas que fazem recém-casados brigar e como você pode resolvê-las

Cansada de tudo? Tendo um início de casamento difícil? São recém-casados com problemas? A vida a dois não é nada fácil, ainda mais no começo.

Mas nada de ficar preocupadíssima, desacordos tem solução e sua união não está em completo perigo. Mesmo porque, você passou do “eu” para “nós” e adaptar-se à uma nova rotina é preciso.

Nesse artigo, vamos abordar:

-Por que brigas são tão comuns no começo?;
-Estilos de D.R;
-9 brigas comuns e como resolvê-las;
-Conselhos de quem está passando pela crise dos 7 anos+ 1º ano de casada.

 

Por que brigas são tão comuns no começo do casamento?

 

É normal brigar tanto assim? Entenda que não existe felizes para sempre. há diversas variáveis para lidar quando se está no 1º ano de união: estabilidade financeira, famílias, gastos, timming para os sonhos…

Ninguém tem um manual sobre como lidar com o outro e ninguém é perfeito. Você não está sozinha.São duas personalidades, duas cabeças. E isso envolve muuuuuitas expectativas, contentamento e dinamismo de ambos, ainda mais nesse comecinho de vida.

No final, o casal briga porque um dos dois não dá a devida atenção ao ponto de vista, crenças ou sentimentos do outro, gerando uma sensação de desconexão e do outro ser inadequado. Seja porque:

  • Falta aceitação (quero mudar algo do outro);
  • Não sentimos segurança ou confiança no outro;
  • Não há afeição o suficiente (Não basta ser aceito, tem que sentir reciprocidade)
  • Não tem autonomia (há controle demais do outro sobre você ou vice versa)

Imagens: Unsplash

Quer ver um exemplo? Seu marido te criticar ou rejeitar uma característica ou feito seu pode te deixar triste porque você não se sente aceita ou validada. E se você não falar o que sente, essa tristeza vira uma frustração grande, que pode se transformar na raiva.

E a bola de neve só vai crescendo, porque discussões geralmente são repetidas. Sim, há um padrão no jeito que brigamos. O que não é de todo ruim, porque a gente pode identificar, prever e corrigir antes que seja tarde!

 

Estilos de D.R

 

Entenda que não há como evitar brigas. Elas são normais. Todo casal discute. Mas casais inteligentes sabem COMO argumentar.

 

Veja como a abordagem certa para discutir o relacionamento pode ter um desfecho diferente: “Eu tô chateada pra caramba com você” é menos agressivo que “você é um lixo, não vale nada mesmo”.

 

Como é o seu jeito de D.R?

 

  • Estilo evitativo: Prefere manter o equilíbrio a se sentir inseguro, evitando qualquer conflito.
  • Estilo vítima: Fica em negação, se desculpando ou culpando o outro para evitar a responsabilidade.
  • Estilo intimidador: Gosta de confrontar e só existe um caminho certo.
  • Estilo lógico: Racionaliza demais e se não encontra a lógica, se desliga.
  • Estilo dominador: quer que apenas sua opinião seja ouvida, competindo para que o ponto de vista do outro seja inválido.
  • Estilo amuado: Absorve passivamente e silenciosamente o calor do conflito.
  • Estilo passivo-agressivo: É ambíguo e hostil de forma dissimulada.

Se identificou com algum deles? Pois saiba que o bom argumento é aquele que mostra a sua perspectiva sem insistir que está certo, sempre ouvindo o outro e ponderando bem o que vai ser dito. É expor sua individualidade e opinião sem agredir.

Comece a se perguntar como vocês se encontram hoje.
Você expressa suas opiniões ou tem medo de ultrapassar algum limite?
Você tem receio de expor o que pensa? Pode ser autêntico com o outro?
Quais necessidades você sente que não está sendo atendida/ falta no seu relacionamento?

 

9 brigas comuns e como resolvê-las

 

Seus estilos de vida são opostos

Um acorda mais tarde, o outro mais cedo. Um adora sair, enquanto o outro é mais caseiro. Isso pode causar um problema, pois você sente que é muito diferente e, portanto, pode se tornar distante.

Como resolver? Compromisso é tudo: Entendam as diferenças e tentem manter um tempo para compartilharem coisas juntas.

 

Só ter pensado até o felizes para sempre

Planejar o casório é super legal, ansiedade mil, tudo muito lindo…mas e depois? Isso pode ofuscar o julgamento de qualquer coisa que não seja relacionada a ele. E a vida de casal, foi pensada? Quando a fase lua de mel acabar, vocês se estranham e começam a descontar um no outro

Como resolver?  Criem juntos uma lista de tudo o que imaginam e esperam para o 1º ano juntos. Tentem ser bem pé no chão- quais são as necessidades, desejos e expectativas dos dois?

 

Depois que a gente casar, ele vai mudar!

Um problemão, casados ou não. Tentar mudar certos hábitos da pessoa é não aceitá-los como ela é. “Mas dá nos nervos, me irrita tanto quando fulano faz isso..”

Como resolver? Te irritou? Fale! Mas não implique. Apenas pense de maneira assertiva sobre como comunicar sobre isso.

 

Um dos dois é mega orgulhoso

Ser assim pode dar uma DR daquelas grandes.. O que significa que às vezes, seja difícil admitir quando se está errado em uma situação.

Como resolver? Respire, dê dois passos para trás, analise friamente a situação e pense como seu orgulho pode estar atrapalhando a relação…Um simples pedido de desculpas pode ajudar muito!

 

Passar muito ou pouco tempo juntos

Por um lado, quase não se veem devido às agendas conflitantes. Do outro, vivem grudados e isso irrita, o que pode virar um ressentimento.

Como resolver? Arranjar tempo. Para vocês ou para os amigos/família/pessoas novas, dependendo do seu caso. Pontos múltiplos se convidar amigos em comum, dessa forma você ainda está gastando tempo de qualidade, mas com o acréscimo de socialização!

 

Falta de participação

Você é a mulher-maravilha: cozinha, limpa e faz tudo e recebe um grunhido que nem parece um obrigado por tudo isso?

Como resolver? Passo nº1: você precisa dizer a ele sobre como se sente. Novamente, de forma assertiva, direta e reta. Seu marido provavelmente não sabe disso. Passo 2: Divida tarefas. No que ele pode contribuir? No que ele pode ajudar? Definido quem fica com o que, mantenham a palavra e sigam firmes.

 

Brigar por coisas mesquinhas

Um vive implicando com o outro. “Abaixe a tampa da privada”, “guarde as coisas no lugar”, Super normal com os recém-casados e todos os relacionamentos.

Como resolver? Escolha suas batalhas. Vale mesmo à pena brigar sobre aquele assunto?

 

A Grana sempre gera briga

todos têm um tipo de educação financeira e cada um tem um tipo de prioridade. É um pega pra capar dos mais sérios.

Como resolver? Revejam os hábitos mensais financeiros urgentemente, fazendo uma planilha para descobrir quanto gastam e quanto poderiam economizar.Aqui estão algumas perguntas que você pode fazer um ao outro:

Quanto podem gastar e economizar durante a semana?Quais são suas prioridades quando se trata de compras? Por exemplo, a comida vem antes do entretenimento para você?

Quais dívidas existem e quais podem ser sanadas se economizar agora?O que vocês podem fazer é abrir uma conta em conjunto e lá depositar uma quantia só para as despesas da casa, por exemplo.

 

Família, sogros e tudo o que vem no pacote

A sogra é mais entrona? Tem tradições ou maneira diferentes de fazer as coisas? Veem os pais com muita ou pouca frequência? Tudo isso faz parte da adaptação.

Como resolver? A parte mais importante de lidar com isso é estar sempre na mesma sintonia com seu marido e ter sempre o apoio dele. Sejam guardiões dos relacionamentos familiares- Se sua sogra pega no pé, é ele que deve interferir.

 

Conselhos de quem está passando pela crise dos 7 anos + 1º ano de casada

 

Se tem uma coisa que estamos aprendendo (e é um processo pra vida inteira) é a diferença entre se desentender e brigar super furiosos e expressar o que pensamos no nosso casamento.

Acima de tudo, aprendemos a “escolher nossas batalhas”. O que vale à pena implicar ou não?

Lembro certinho dessa discussão h-o-m-é-r-i-c-a que tivemos. Choros. Acusações de “você não liga para o que eu penso!!!” aqui, “você faz tudo errado” ali. Tudo por causa dos lixos recicláveis e o que deveria ir ou não neles.

Quem vê de fora pensa que é uma bobagem, mas a comunicação que agride e que é acusatória danifica muito algo que poderia ser resolvido mais fácil. Tentar levar a melhor e impor seu ponto de vista, do tipo “EU que estava certa!” só acaba desgastando mais a relação :/

Chegamos a um ponto mais equilibrado, que envolve:

  • Aprender a discutir sem ficar bravo;
  • Ser mais assertivo e comunicar o que nos incomoda logo no começo, não deixando isso estender muito;
  • Sempre falar de forma não acusatória: ao invés de “você tá fazendo isso errado”, “Eu acho que esse jeito é melhor”
  • Respirar fundo quantas vezes forem preciso para não deixar uma emoção mais forte entrar
  • Focar no presente, e não nos erros do passado.
  • Se muito bravos, dar uns 10 minutos de tempo antes de falar algo que a gente possa se arrepender ( e ainda por cima comunicar sobre isso: “Eu tô MUITO irritada e agora não vai dar certo a gente conversar. Me dá um tempinho, por favor”)
  • Dedicamos um tempo para discutir. “Nessa próxima meia hora, vamos lidar com isso e achar soluções”.

Isso resolveu uns 80% das brigas tolas que tínhamos. Nos concentramos em ouvir de verdade o outro. Porque por trás de uma reclamação, sempre tem um motivo não dito.

Implicava tanto com certas coisas, mas no final, tudo se resumia a ele prestar atenção ao que eu dizia. Assim como quando ele ralhava sobre alguma coisa que aborrecia ele, era por conta da minha falta de apoio e suporte. E alinhamos nossos pontos :)

Resumindo: Vai discutir com o marido? Pode ser ótimo pro relacionamento se feito da maneira certa, porque conversar faz o casal colocar os pingos nos ‘i’s e a amadurecer a relação.

 

 

Life | A série documental “O Amor é lindo” estreia dia 10 no GNT

Tem novidade vindo por aí. Dia 10, estreia na GNT a série documental “O Amor é lindo”. Produzida pela Bossa Nova Films, a nova série promete trazer experiências de casais em todo o Brasil.

 

O Amor é lindo

 

Amanhã, às 23h30, o GNT estreia “O Amor é Lindo”. Com produção da Bossa Nova Films e recursos provenientes do artigo 3A, a nova série documental, que vai ao ar às sextas-feiras, relata as expectativas e reflexões sobre dois momentos fundamentais num relacionamento amoroso: o casamento, com a promessa do “felizes para sempre”, e as bodas que, independentemente do tempo de vivência do casal, confirmam os primeiros votos e celebram a fé e o esforço de manter o casamento apesar do cotidiano, muitas vezes, desgastante.

Dentre as histórias, tem a de Sônia e Moacir, um casal que se conheceu aos treze anos e, desde então, são o primeiro e único amor um do outro; a de Célia, 25 anos mais velha que sua companheira Ligia; e a de Laís e Rafael, que passam bem longe do “amor à primeira vista” depois de tantos encontros e desencontros.

o amor é lindo

Imagem: Thiago Lucena

“Esse é um projeto pelo qual temos muito carinho. Nasceu de uma vontade de falar de amor, do que une as pessoas e as mantém unidas, apesar dos pesares. Talvez esse seja um momento oportuno, porque precisamos mesmo falar de amor em tempos de tantas incertezas e dificuldades como os de hoje”, conta Mariana Koehler, diretora artística do GNT.

O assinante do GNT ainda pode acessar toda a programação do canal no Globosat Play. O serviço de TV Everywhere disponibiliza os conteúdos dos canais Globosat sem custo extra – na SmartTV, no computador ou em aplicativos para celulares e tablets. Os conteúdos também podem ser assistidos através dos serviços sob demanda das operadoras: Net NOW, Vivo Play, e Oi Fibra.

Caderninho de Receitas | Bolinho de chuva especial

Bolinho de chuva é uma comida muito nostálgica para mim. Me lembro que sempre que chovia ou estava mais frio, minha vó perguntava para a gente se queríamos esses tais bolinhos. E claro que sempre dizíamos que sim rsrs. Afinal, como resistir a eles?

Bom, resolvi compartilhar essa receita, pois a semana passada eu e minha mãe resolvemos fazer bolinhos de chuva em um dia chuvoso e frio aqui em São Paulo. Eu ia fazer a receita da minha vovó, mas achei uma muito interessante e diferente na internet. Por que não testar novas receitas, né? Foi o que pensei.

E confesso que não me arrependi, apesar de ter dado um toque da minha vó nela rsrsrs.

Papel e caneta na mão!

bolinho de chuva

 

Bolinho de chuva

 

Nosso bolinho de chuva foi sempre muito preguiçoso. Não precisávamos misturar com a mão e nem mesmo cortar e modelar os pedacinhos, como fizemos nessa receita. Mas não se engane, é super simples e rápido de fazer como o outro.

ingredientes

– 1 ovo;

– 1 colher de sopa de óleo;

– 1/3 xícara de açúcar refinado;

– 1 colher de sopa de vinagre (qualquer vinagre);

– 1 colher de chá de fermento químico;

– 1 xícara + 2 colheres de sopa de farinha de trigo;

– 1 colher de cachaça (eu uso graspa, nunca testei com outra);

–  óleo para fritar;

– canela e açúcar refinado para decorar.

bolinho de chuva

 

modo de preparo

Primeiramente, misture o ovo, óleo e o vinagre. Acrescente os demais ingredientes e misture bem. O ponto da massa é ela desgrudar das mãos. Caso precise, use um pouco mais de farinha.

Em seguida, dvida a massa em 3 pedaços iguais. Com cada porção será feita um cordão que renderá cerca de 12 pedaços que serão enrolados com a mãos.

Depois, coloque no óleo quente e frite.  Ao tirar, escorra em um papel e finaliza com o açúcar refinado e a canela.

E está prontinho para servir.

Você pode ainda servir os bolinhos, mas sem a canela, com doce de morango de acordo com o Renata Constantino Barrella, da Goriahuk. Eu peguei essa receita no perfil do Instagram dela e adaptei um pouco com a receita da vovó rsrs.

Pronta para colocar a mão na massa e se deliciar?!

Caderninho de Receitas | Submarino de chocolate quente

Caderninho de Receitas | Camembert empanado

Caderninho de Receitas | Puffs de batata doce

 

Posts anteriores