21Sep2016

Um casamento temático de encher os olhos

Adoramos esse casamento temático. Elegante, romântico e cheio de detalhes inspiradores, ele traz ideias originais e que podemos adaptar para o nosso grande dia.

O tema escolhido para esse casamento? O tesouro perdido!!!

Amamos os detalhes:

– o mapa de assentos e marcadores de mesa brincarem com o tema e serem de lupas;

– a mesa das crianças ser no chão, no melhor do boho, e ter um baú com surpresas em cima dos pratos no lugar do menu;

– a papelaria floral;

– mesa de donuts.

Já falamos por aqui que as rosquinhas são tendência e estão substituindo alguns doces nas mesas. Vocês viram como uma mesa de donuts se adapta a qualquer estilo de casamento, até mesmo aos mais elegantes? O que muda é a maneira de servi-los.

papelaria-floral-casamento buque-de-noiva fotografia-de-casamento mapa-de-assentos detalhes-decoracao-mesa-casamento detalhes-decoracao-elegante-casamento decoracao-casamento-elegante decoracao-elegante marcadores-de-mesa mesa-das-criancas detalhes-mesa-de-criancas mesa-de-doces

Imagem: Josh Ellio

21Sep2016

7 destinos de lua de mel – edição cidades

O destino de lua de mel deve ser escolhido com todo amor e carinho pelos casais, pois é um período em que ambos vão ficar juntinhos, a sós pela primeira vez após o “Yes, I Do”. Portanto, deve ser um local que atenda o perfil do casal.

Depois de falarmos sobre os 7 melhores destinos para a lua de mel – edição praia, chegou a hora de mostrarmos mais 7 destinos. Alguns deles também tem praias, mas queremos que foquem em outros pontos.

Esses destinos são mais urbanos, mas continuam sendo românticos e perfeitos para aquele período maravilhoso a dois pós casamento.

– Itália:

Ok, a Itália pode ser um local mais urbano, mas esbanja romance. E não é só a região central que vale a pena conhecer. O interior do país é maravilhoso e oferece aos casais uma lua de mel que é um verdadeiro sonho.

Entre as cidades para visitar: Toscana, Veneza, Roma, Milão e Sicília.

destinos-lua-de-mel-italia- destinos-lua-de-mel-italia- destinos-lua-de-mel-italia-

– Portugal:

Assim como a Itália, Portugal é um destino romântico mesmo sendo mais urbano. Parada obrigatória: Lisboa, Sintra, Vale do Douro e Aveiro.

destinos-lua-de-mel-portugal destinos-lua-de-mel-portugal destinos-lua-de-mel-portugal

– África do Sul:

A Cidade do Cabo, considerada uma das cidades mais bela do mundo, encanta aos mais variados tipos de casais. Vinhas, montanhas, praias e claro, seus gigantescos parques nacionais.

destinos-lua-de-mel-africa-do-sul destinos-lua-de-mel-africa-do-sul destinos-lua-de-mel-africa-do-sul

– França:

França não é só Paris, existem diversos outros locais no país que os casais devem considerar para a lua de mel como: Provença, Bordeaux e Saint- Emilion, Vale do Loire.

destinos-lua-de-mel-franca destinos-lua-de-mel-franca destinos-lua-de-mel-franca

– Nova York:

Este é o destino mais urbano que selecionamos para vocês. Ele é perfeito para os casais mais modernos que estão sedentos por cultura e locais que satisfazem o estilo do casal.

destinos-lua-de-mel-nova-york destinos-lua-de-mel-nova-york destinos-lua-de-mel-nova-york

– Grécia:

A Grécia não é só praia. Tem locais maravilhosos e históricos para conhecer. É um destino cheio de história!

destinos-lua-de-mel-grecia destinos-lua-de-mel-grecia destinos-lua-de-mel-grecia

– Croácia:

Assim como a Grécia, a Croácia tem uma herança cultural riquíssima! É um destino incrível para os casais que querem mesclar cultura, romance e belas vistas!

destinos-lua-de-mel-croacia destinos-lua-de-mel-croacia destinos-lua-de-mel-croacia

Imagem via Google

21Sep2016

Pets em casamentos – 4 itens para se pensar

Os pets fazem parte da nossa família e é por isso, que somos a favor da participação dessas fofuras em um dos dias mais felizes de nossas vidas, o casamento. Eles arrancam suspiros dos convidados e sempre emocionam seus donos.

Os “pequenos” de quatro patas podem ter um papel fundamental no grande dia, como levar as alianças até o altar ou ser um convidado de honra e acompanhar tudo na primeira fileira.

Quando decidimos pela participação de nossos peludos no casamento é preciso levar em consideração algumas coisas:

– local da cerimônia e recepção:

É importantíssimo, antes de tudo, saber se o local escolhido para a cerimônia e para a recepção permitem cachorros. Já que a participação do pet é uma prioridade, precisamos ver lugares que permitam a presença de nossos peludos. Caso o local não permita e não possamos mudar, dá para inclui-los nas fotografias pós-wedding ou na sessão fotográfica externa. E por que não no save the date e no noivado?

pets-em-casamento

Imagem via Mandy Whitley

– a personalidade:

Antes de darmos uma tarefa para nosso pequeno ser de puro amor, devemos pensar se ele ficará confortável em realizá-la. Muitos pets não se sentem felizes ou confiantes em meio a tanta gente e podem se estressar ao ter que realizar qualquer tarefa.

Sei que, para muitas pessoas, é um sonho ter seu cachorro participando da cerimônia como protagonista, mas precisamos pensar primeiramente no bem estar do nosso bichinho.

Existem hoje no mercado, alguns profissionais que podem ajudar o nosso peludo a se acostumar com um maior movimento para que ele fique bem no nosso casamento, como por exemplo: pet sitter e até mesmo um adestrador.

Se o cãozinho for um pouco mais nervoso, por que não colocá-lo dentro de um carrinho e pedir para uma criança levá-lo até o altar?

Se ele for mais agitado, dá para encurtar um pouco a coleira para não dar tanta liberdade para ele se distrair.

pets-em-casamento

Imagem via Snap Weddings

– a roupinha para o grande dia:

A roupa escolhida para o pet deve ser confortável e não deve irritá-lo. Se o peludo não está acostumado a usar roupas é possível colocar apenas alguns acessórios como: gravata borboleta, uma coroa de flores ou apenas uma coleira com uma flor.

pets-em-casamento

Imagem via Google

– fotografia:

Devemos avisar tanto a assessora quanto ao fotógrafo sobre a participação do pet e que queremos que o profissional registre nosso peludo em ação em todos os momentos.

pets-em-casamento

Imagem via Google

PS: Não podemos esquecer de avisar os convidados que o pet estará presente no nosso grande dia, para que os alérgicos de plantão saibam o que os esperam rsrs.

 

 

20Sep2016

Trash the Dress – Julia e Lorran

Uma das coisas que mais amamos nos trash the dress, são os locais que os casais escolhem para tal façanha…
Pois bem, e o que podemos dizer com a escolha feita pelo Julia e o Lorran?
EXPETACULAR, TALVEZ!!! rsrsrs

O palco escolhido fica na Bolívia e há tempos, não víamos algo tão majestoso!!! Mais detalhes, vocês ficam sabendo no depoimento abaixo!

Inspirem-se!!!

trash the dress Bolívia

trash the dress Bolívia

trash the dress Bolívia

trash the dress Bolívia

trash the dress Bolívia

trash the dress Bolívia

trash the dress Bolívia

Como surgiu a ideia do trash?

A ideia o Trash sempre existiu, pelo menos desde que conhecemos o trabalho e o Giovani. Após ele mostrar alguns trabalhos, ficamos encantados com a ideia de uma Trash the Dress, mas nunca quisemos fazer logo após o casamento, sempre pensamos em fazer após 1 ano de casados, para se tornar uma comemoração, uma lembrança do momento mágico que vivemos no nosso casamento. Ficamos pensando em como seria legal vestir o vestido de noiva e o terno depois de 1 ano de casados. Se a roupa ainda iria caber, porque sempre falaram que depois de casados o casal engorda e tal. 

trash the dress Bolívia

trash the dress Bolívia

trash the dress Bolívia

trash the dress Bolívia

trash the dress Bolívia

trash the dress Bolívia

trash the dress Bolívia

trash the dress Bolívia

Como foi o roteiro?

O Roteiro foi todo em cima do montado pela agência de turismo, nós tivemos também a sorte de pegarmos um guia muito legal e nos levou em lugares fora do roteiro normal. Conhecemos e tiramos fotos em muitos lugares incriveis, dentre eles: Laguna Branca; Laguna Verde; Laguna Colorada; Potosí; Geysers Sol de Mañana; Árbol de Piedra; Laguna Hedionda e o magnífico Salar de Uyuni.

trash the dress Bolívia

trash the dress Bolívia

trash the dress Bolívia

trash the dress Bolívia

trash the dress Bolívia

trash the dress Bolívia

Como foi lá?

A viagem foi sensacional, apesar de todos os perrengues que passamos, de altitude, frio, dor de cabeça, falta de ar, ficar sem tomar banho, horas dentro de um carro quente, sempre que chegávamos num dos pontos, numa laguna, era gratificante. Eu me senti presenteada por poder estar em um lugar tão incrível, com pessoas tão especiais. O nosso grupo estava muito sintonizado, com uma energia muito positiva, até o motorista/ guia entrou na nossa vibe. 

O Giovani e a equipe deles foram sempre muito cuidadosos e preocupados conosco. Não víamos eles como pessoas que estavam prestando um serviço para gente, víamos como amigos que estavam num projeto muito gostoso e único. Foi uma experiência de vida, que vamos levar para sempre em nossa memória e coração.

trash the dress Bolívia

trash the dress Bolívia

trash the dress Bolívia

Teve alguma historia engraçada?

Histórias engraçadas não faltam, mas foi unânime a escolha da história do Durepoxi como um dos momentos mais engraçados da viagem. Ainda nos adaptando aos efeitos da altitude e às temperaturas negativas, paramos em Potosí, 4278m acima do nível do mar, para passarmos a nossa primeira noite. O frio era insano, entrava pelas frestas da janela e todo mundo acabou debaixo de várias camadas de roupas de frio, além de sacos de dormir e os edredons do hostel. Pegar no sono foi difícil, mas em algum momento o frio foi saindo de cena… Tudo começou quando o Éder, fotógrafo assistente do Giovani, resolveu acordar todo mundo no meio da madrugada, dizendo que não estava conseguindo dormir, sendo que ele tinha passado a noite inteira roncando e perguntou se estávamos com calor. Como alguns disseram sim e outros não, ele começou a falar de um tal de Durepoxi, enquanto tentava tirar as camadas de coberta desesperadamente. “Eu tô morrendo, não tô conseguindo respirar”, ele começou a dizer, “acho que tô com Durepoxi”. O Lorran (meu marido) só conseguia responder “como tu não está conseguindo dormir? Você roncou a noite toda, apaga essa luz logo e volta a dormir”, Giovani e Luiz Fellipe diziam “tá calor mesmo”, e eu ainda estava com frio. O Luiz Fellipe, tentava dizer pra ele que ele não estava morrendo, mas ele ainda ficou muito tempo esbravejando que achava que estava com Durepoxi, que ele tinha visto um filme no dia anterior à viagem sobre isso e que ele estava com os sintomas. Ninguém deu atenção para ele, até que ele se acalmou e voltou a tentar dormir. No dia seguinte acordamos e constatamos que ele não tinha morrido, e queríamos entender o que era o tal Durepoxi. Ele explicou que não era Durepoxi e sim Hipoxia, que é o baixo teor de concentração de oxigênio no corpo e um dos sintomas é calor em excesso. Durante todo o restante da viagem, qualquer sintoma que sentíamos por conta da altitude virou Durepoxi.

trash the dress Bolívia

Ficha técnica:

Fotógrafo: Giovani Garcia

Locais: Salar Uyuni, Lagunas Verdes e Colorada – Bolívia

Casal: Julia e Lorran